Dados Históricos

Voltar para home

BANDEIRA 

WhatsApp Image 2017-06-07 at 01.42.19

BRASÃO

WhatsApp Image 2017-06-07 at 01.43.35

A HISTÓRIA DA BANDEIRA E BRASÃO

A Bandeira de Igreja Nova foi criada em 1973 pelos Igreja-novenses José Felinto Santos, Josafá Leandro da Silva e Altino Borges (In memorian). Com formato retangular, está dividida em três partes iguais, onde aparecem as cores: verde, amarelo e branco.

O verde e o amarelo representam a principal economia do município, o arroz, já o branco simboliza a paz e a pureza de sentimentos que existe no coração dos Igreja-novenses.

Seu Brasão de Armas lembra a formação histórica do município. Os morros em verde representam os acidentes geográficos do município, o azul representa as águas da grande Lagoa Boacica, os peixes mostram a primeira fonte de renda dos primeiros habitantes, o sol mostra o clarão ao despertar do amanhã, a pequena capela destaca-se como origem do atual nome do município e a Fé do povo católico de Igreja Nova e os cachos de arroz representam o fruto da boa terra e principal riqueza do município.

HINO

LETRA DO HINO

Letra e Música: Benedito Fonseca

De Ponta de Pedras, Oitizeiro

Sempre em busca de um crescer permanente

Plantando em mavioso canteiro

Ao Triunfo que verdeja crescente.

Estribilho: Cantai vibrante com ardor Varonil

com alegria de quem se renova.

Ao saudar mui querida e gentil.

Sempre vivas, Igreja Nova.

Orago e louvado: altaneiro

Força viva da nossa conquista

Escolhido e amado padroeiro

São João, precursor, e Batista.

Estribilho: Cantai vibrante…

O amor que em cada um existe

Como filho que se orgulha da terra.

E revive a saudade que persiste.

Qual memória que no peito encerra

Estribilho: Cantai vibrante…

Os teus filhos ilustres proclamam

O teu nome com grande amizade

Com a igreja que vive a quem amam

Marco de ontem para a eternidade.

Estribilho: Cantai vibrante…

A HISTÓRIA DO HINO

O Hino de Igreja Nova foi criado no ano de 1990, por iniciativa do senhor Toninho Borges, na época  vereador e também com a participação do senhor José Felinto.

Toninho Borges entrou em contato com o compositor e maestro Benedito Fonseca e este se propôs a compor a letra e música do Hino de Igreja Nova. Seu José Felinto um conhecedor da História de Igreja Nova fez um resumo e passou para Benedito Fonseca e este fez a letra e melodia do Hino baseado na história do município.

Feito o trabalho, o vereador Toninho Borges levou até o Prefeito da época para efetuar o pagamento. O prefeito então falou: Já que você teve a iniciativa de mandar fazer o hino, que pague também.  Moral da história, nem o prefeito pagou, muito menos o vereador, e o hino ficou apenas no papel.

O Professor Ricardo Costa tomou conhecimento que o senhor José Felinto entregou ao ex prefeito Dr. Neiwton Silva a letra  do hino de Igreja Nova  e, infelizmente o Dr. Neiwton Silva, guardou e não lembrou aonde colocou.

Quando Augusto assumiu a prefeitura, um de seus funcionários encontrou a letra do hino. Seu José Felinto ao tomar conhecimento, pediu uma cópia. Ricardo Costa também tomou conhecimento e procurou o senhor José Felinto e solicitou uma cópia dizendo ter muito interesse em ver um dia o hino de Igreja Nova cantado por seus habitantes e falou para seu José Felinto: quando eu quero uma coisa eu não descanso até conseguir e eu vou batalhar para que o hino de Igreja Nova seja gravado.  Seu José Felinto falou que contasse com o seu apoio.

E juntos foram, José Felinto, Professor Atiliano e Ricardo Costa foram falar com Benedito Fonseca. O Hino está aqui (mostar o CD). Gravado. E pela primeira vez, será ouvido e cantado por vocês aqui presentes. Isso é história, e vocês aqui presentes daqui a alguns anos poderão dizer: eu estava presente na primeira execução do Hino de Igreja Nova.

Para momentos como esse acontecer, é preciso de muito interesse de algumas pessoas e, principalmente do gestor que está a frente da Prefeitura. Por isso, receba o nosso agradecimento Prefeita Verônica Dantas, sem o apoio por parte de Vossa Excelência esse fato não estaria acontecendo. Muito obrigado Prefeita Vera Dantas.

História

Igreja Nova Alagoas – AL

Histórico

Um dos mais antigos municípios do Estado, Igreja Nova tem sua história ligada à exploração do rio São Francisco por pescadores saídos da cidade de Penedo que, por volta do século XIX, fundaram um povoado denominando-o de Ponta das Pedras, em seguida chamando-o de Oitizeiro.

Logo, foi erguida uma pequena capela para orações a São João Batista, até hoje padroeiro do município. Em 1908, após o desmoronamento da capela, frades alemães se uniram aos moradores para construir um dos mais belos templos católicos de Alagoas, cujas badaladas de sinos são ouvidas a uma distância de 6 km, chamada Igreja Nova.

A povoação foi desmembrada de Penedo e teve seus limites fixados pela resolução 849, de 1880. As primeiras tentativas de elevar o povoado à vila (com leis de 1885 e 1889) não surtiram efeito. Em 1890, através do decreto 39, o processo se completa e a nova vila passa a se chamar Triunfo. Em 1892, foi conduzida à categoria de cidade, até uma nova lei suprimir a condição e anexá-la novamente a Penedo. Apenas em 1897, foi elevada à condição de cidade. O nome Igreja Nova, porém, só foi adotado em 1928.

O município é um dos maiores produtores de arroz do Estado, com reconhecida importância no desenvolvimento da região ribeirinha do São Francisco. Além disso, desenvolve projetos de piscicultura em parceria com a Codevasf, que encontra no município um laboratório natural, no maior açude de Alagoas. O espírito festivo da população pode ser visto nas festas do padroeiro (São João Batista, em 24 de junho), da Emancipação Política (16 de maio) e no carnaval, onde é revivida a antiga tradição dos mascarados.

Gentílico: igreja-novense

Formação Administrativa

Elevado à categoria de vila com a denominação de Triunfo, pelo decreto estadual nº 39,de 11-09-1890, desmembrado de Água Branca. Sede na povação de Igreja Nova. Construído de 2 distritos: Triunfo e Salomé criado pela mesma lei que criou a vila. Instalado em 12-01-1891.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Triunfo, pelo decreto estadual nº 15, de 16-05-1892.

Pela lei nº 82, de 20-07-1895, o município é extinto, sendo seu território anexado ao município de Penedo.

Pela lei nº 162, de 28-05-1897, é recriado novamente o município de Triunfo, desmembrado de Penedo.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 2 distritos: Triunfo e Salomé.

Pela lei estadual nº 1139, de 30-06-1928, o município de Triunfo passou a denominar-se Igreja Nova.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 2 distritos: Igreja Nova ex-Triunfo e Salomé.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1955.

Pela lei estadual nº 2229, de 31-05-1960, desmembra do município de Triunfo o distrito de Salomé. Elevado à categoria de município com a denominação de São Sebastião.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica municipal

Triunfo para Igreja Nova alterado, pela lei estadual nº 1139, de 30-06-1928.

Fonte: IBGE

 

 

Poste um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*